Armadores e investigadores querem período de defeso para pesca do polvo

As “Tertúlias do Polvo” reuniram pescadores, associações de armadores, instituições governamentais e investigadores que chegaram à conclusão de criar um período de defesa para a captura do polvo no Algarve.

Durante dois anos, várias entidades reuniram-se para debater a pesca do polvo, sendo apresentado o Livro Verde sobre a Pesca de Polvo no Algarve, apresentado pelo Centro de Ciências do Mar (CCMar) e Universidade do Algarve (UAlg), que reúne o conjunto de ideias discutidas nessas tertúlias.

De acordo com o Sul Informação, o secretário de Estado das Pescas, José Apolinário, não vê “condições para que tal seja implementado, até porque o polvo não é uma espécie considerada em risco biológico”. Já uma das investigadoras do CCMar, Mafalda Rangel, explicou que o objetivo destas reuniões foi “foi perceber como gerir a pescaria do polvo, chegando à conclusão de que deve haver um período de defeso para o polvo”. O objetivo é atenuar a falta de stock de polvo.

José Apolinário propõe que “a pesca do polvo passe a parar ao fim de semana. Há um desafio aqui no Algarve que é não haver desembarques ao fim de semana. Também tem de haver um compromisso dos pescadores de polvo para garantir que o tamanho mínimo de captura, de 750 gramas, é cumprido, assim como reduzir o número de artes que estão no mar”.

Mafalda Rangel sugeriu haver a possibilidade de aumentar o tamanho mínimo de captura, mas está ciente de que a comunidade não quer isso. Assim sendo, a implementação do período de defeso teria de ser “voluntário, com os pescadores a implementá-lo por considerem ser uma forma de gerir o recurso.”

Sessao-Livro-Verde-Polvo-2-768x512

Fonte: Sul Informação

Artigos relacionados

Portugal é o primeiro país a sofrer consequências do lixo no Mediterrâneo

Num relatório da World Wide Fund (WWF), está descrito que Portugal é o primeiro país a sofrer as consequências da poluição plástica no Mediterrâneo, pois está na rota de saída deste mar.

Polícia Marítima do Douro apreende 12 redes majoeiras em situação irregular

A Polícia Marítima do Douro apreendeu durante a manhã de ontem, 3 de janeiro, 12 redes majoeiras que se encontravam em situação irregular devido a falta de sinalização ou a características ilegais.

Sagres recebe em 2018 o Campeonato do Mundo de Pesca Submarina

Este é um campeonato de escalão etário sénior, disputado em dois dias, prevendo-se a participação de 125 a 150 atletas oriundos de 25 a 35 países, com cerca de 80 embarcações.

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário