Austrália | Biólogos descobrem uma cidade de polvos

 Num estudo internacional publicado na revista Marine and Freshwater Behaviour and Physiology, um grupo de cientistas percebeu que os polvos não são criaturas tão isoladas e solitárias, como se pensava.

Desde 2017 que um grupo de cientistas estuda o comportamento dos polvos (Octopus tetricus), após a descoberta de uma pequena cidade de polvos, chamada de Octlantis. Esta cidade tem cavernas feitas com areia e conchas e pode abrigar até 15 membros desta espécie.

Neste estudo realizado e, Jervis Bay, no litoral do leste da Austrália, os investigadores conseguiram gravar 10 horas de vídeo, ente 10 a 15 metros de profundidade. As imagens são incríveis e pode ver o vídeo aqui que, no fundo, demonstra vários comportamentos destes animais, desde a convivência, a comunicação, à perseguição de outros seres indesejados.

É possível lermos neste website algumas declarações feitas por David Scheel, da Universidade do Pacífico do Alasca, que refere que “estes comportamentos são produto da seleção natural e podem ser semelhantes ao complexo social dos vertebrados”.

Uma das grandes conclusões do estudo é a de que os polvos não são animais tão solitários como se pensava (normalmente os polvos só se reúnem para acasalar), mas não se sabe se estas “cidades polvo” são assim tão comuns. Ainda assim, Octlantis parece ser um local muito violento e agressivo, porque há abundância de comida e, consequentemente, de predadores.

octopus-428745_960_720

 

 

Artigos relacionados

Encontro de Pesca Desportiva a 7 de abril no Grupo Desportivo do Tojal

No próximo dia 7 de abril vai realizar-se o Encontro de Pesca Desportiva de Mar. Tudo começa às 7 horas da manhã no Grupo Desportivo do Tojal.

Portugal chega ao pódio!

A seleção nacional de pesca de alto mar conseguiu alcançar o 3.º lugar do pódio na 53.ª edição do mundial da disciplina, em prova disputada na Croácia.

Pescador é arrastado por espadarte durante seis horas… mas sobrevive

Um espadarte de grande porte mordeu o isco que o homem, sozinho e com menos de 30 anos, lhe oferecia e fê-lo cair ao mar, arrastando-o ao longo de uma distância superior a 50 quilómetros.

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário