Estado do Maine | Pesca do bacalhau com recorde histórico negativo em 2017

O Estado do Maine, nos Estados Unidos da América (EUA) é uma zona muito boa para a pesca, no entanto, no ano passado atingiu um recorde histórico negativo.

pesca bacalhauSegundo a agência de notícias norte-americana Associated Press, a pesca de bacalhau do estado do Maine existe desde o início do século XVII, e já foi uma das mais fortes do país, chegando a atingir mais de 21 milhões de quilogramas.

No entanto, em 2017, a situação parece ter-se invertido. Os pescadores apenas conseguiram capturar cerca de 80.000 quilogramas de bacalhau; menos da metade de 2016 e o menor registado até aos dias de hoje.

Mas, infelizmente, esta situação parece ser uma tendência cada vez mais crescente: a diminuição dos números pescados. Há quem pergunte mesmo se o bacalhau estará em extinção, como pode ver aqui, num programa da Discovery Channel.

Segundo o Diário de Notícias, Terry Alexander, um veterano pescador de Portland e Boston, diz que “uma razão para este colapso, é que as quotas federais para o bacalhau são tão baixas que muitos pescadores simplesmente as evitam”.

Os cientistas atribuíram o colapso a fatores como anos de excesso de pesca no passado e o impacto do aquecimento dos oceanos nos peixes de água fria.

Será?

Artigos relacionados

Organização do Oceano Ibérico forçada a alterar data do Convívio de Pesca

Face às atuais condições meteorológicas, que têm agastado a costa ocidental, a organização do Oceano Ibérico viu-se forçada a alterar a data do seu Convívio de Pesca.

Tubarões-azuis às portas de Lisboa: uma reportagem da National Geographic

Os tubarões-azuis não ficam indiferentes ao que está reservado entre a Foz do Tejo e o Cabo Espichel, pelo que são muitos os animais pelágicos que por ali param.

Edição de janeiro da revista ‘Mundo da Pesca’ já está nas bancas

Revelamos segredos da Pesca em Praias Fundas, como escolher a cor do multifilar, entre outras coisas. Já tem a sua?

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário