Vídeo inédito mostra processo de acasalamento dos peixes Caulophryne jordani

Vídeo inédito mostra processo de acasalamento dos peixes Caulophryne jordani

Um peixe fêmea Caulophryne jordani, da ordem dos Lophiiformes (a mesma do tamboril), foi pela primeira vez filmado em processo de acasalamento pela fundação Rebikoff-Niggeler, a cerca de 800 metros de profundidade, num vídeo feito ao largo da ilha de São Jorge, nos Açores.

Estes peixes conhecidos como xarrocos acasalam através do chamado parasitismo sexual. A fêmea, com 16 cm de comprimento, tem um macho preso ao ventre. O peixe de menores dimensões, apenas três centímetros, recebe proteção e retira nutrientes do sistema circulatório, fecundando a fêmea quando esta estiver pronta a desovar.

Outra descoberta inédita diz respeito ao método de caça deste peixe. Sabia-se que os animais desta espécie usavam um apêndice bioluminescente para atrair presas na escuridão, mas nunca fora antes visto que os filamentos e barbatanas também parecem emitir luz.

O vídeo, que está a captar a atenção da comunidade científica internacional, foi captado em agosto de 2016 pelo casal Kirsten e Joachim Jakobsen, mas só agora divulgado ao público pela fundação na plataforma Vimeo.

Em declarações à TSF, Kirsten Jakobsen conta que têm sido muitos os contactos da imprensa e comunidade científica internacionais. Os Açores são muito ricos em biodiversidade marinha, mas em 18 anos de trabalho, “nunca tínhamos observado este peixe” nestas circunstâncias, conta.

“Nunca vi nada assim”, disse à revista Science Ted Pietsch, investigador dedicado ao estudo de peixes de regiões abissais na Universidade de Washington.

deep-sea anglerfish observed for the first time ever from Fundação Rebikoff-Niggeler on Vimeo.

Artigos relacionados

Doca do Clube Naval Setubalense limpa rampa operacional para embarcações

O Porto de Setúbal realizou uma intervenção na Doca do Clube Naval Setubalense (CNS), com remoção das areias que haviam assoreado aquela área e que limitava fortemente o normal movimento de embarcações de recreio.

Pescadores recuperam Rampa das Baleias

A rampa das baleias com mais de 30 anos de existência é a única rampa gratuita existente em Setúbal com acesso direto ao rio Sado.

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário